Tecnologia do Blogger.

Ha Long Bay


Com mais de 3.000 ilhotas de calcário (a maioria não habitada), é a mais conhecida do Vietnã. O cenário é mesmo incrível.

O bilhete individual para a baía custa 80.000 VND ou US$ 4. É só isso mesmo, muito barato. E ainda inclui água, frutas e o almoço (entrada, pratos principais e sobremesa). Mas pela comodidade, grande parte dos turistas opta pelo tour fechado, já saindo do hotel, tendo em vista que até chegar-se ao porto para pegar a embarcação a viagem dura cerca de três horas.

Nosso guia “Man” era muito simpático. No caminho até o barco, ele forneceu várias informações sobre o país e, antes de chegarmos, distribuiu um papel para anotarmos o tipo de comida preferida ou se tínhamos alergia a algum tipo de carne. Tudo para que o almoço fosse perfeito, que já é servido antes de alcançarmos Ha Long Bay.

A travessia leva cerca de uma hora. Alguns moradores da região vivem em casas sobre a água. Aproveitam para vender comida, bebida e artesanato aos turistas. O tempo ficou um pouco nublado, mas não o suficiente para atrapalhar as fotos. No local, pode-se mergulhar (no verão é melhor), andar de caiaque ou de barco (pago à parte – US$ 3 por pessoa). Vale muito a pena andar de barco. No nosso, éramos seis pessoas (os outros eram das Filipinas), além do condutor que remava sozinho. O barco atravessa diversas grutas e cavernas que existem entre as pedras. Algumas são tão baixas que é necessário abaixar a cabeça para não bater.
A caverna mais popular é Dau Go (Gruta de estacas de madeira), que ganhou este nome por ser onde os vietnamitas armazenagem suas estacas de madeira no século XIII, quando os mongóis estavam chegando para invadir. Dessa forma, conseguiram danificar os cascos de várias embarcações mongóis. A caverna tem algumas estalactites bem extensas e brancas.

Voltamos para o barco grande e velejamos um pouco até uma pequena ilhota para ver outra caverna popular: a Hang Sun Sot, que recebe iluminação artificial em diferentes cores, dando uma aparência toda especial à caverna e destacando, claro, ainda mais as estalactites. Ali, descemos do barco para caminhar no seu interior. Na entrada da ilha, vendedoras ambulantes com seus típicos chapéus em forma de cone, oferecendo água, frutas (sobretudo manga), café (vende-se muito café gelado em lata) e remédios caseiros. Vimos várias garrafas com o seguinte rótulo: “Real Speciality of Vietnam – Snake Wine”, (vinho de cobra), indicado para reumatismo, e recomendado tomar, duas vezes ao dia, um pequeno copo antes das refeições.
Entramos na embarcação novamente para regressarmos ao porto e, então, a Van nos levaria de volta ao hotel.

Para os que escolhem pernoitar no local, a baía tem três ilhas principais: DAO Titop, bastante popular fora das excursões do dia. Tem uma praia e um cume onde se pode subir para obter uma das melhores vistas panorâmicas de Ha Long Bay; DAO Tuan Chau, com complexo de recreação do International Tuan Chau, contendo um aquário, campo de golfe e circo; e Gato Ba, a mais desenvolvida, com infraestrutura hoteleira e gastronômica. Lá, é possível até alugar bicicletas para andar na trilha.

No dia seguinte (dia 13), às 8h, partiríamos em outro tour, agora para Hoa Lu, um dos sítios históricos de maior importância no país. O valor por pessoa é de US$ 35, também incluindo o almoço e o passeio de barco, além do translado até o local.

Vale lembrar que você pode fazer essas reservas no dia anterior, no hotel em que está hospedado. 

0 comentários:

Postar um comentário

Visitantes (últimos 7 dias)

Visite Blog RotaCinema

Postagens populares

Tags

Vietnamitas, Vyetna, Vietnna, Viet-nã, República Socialista do Vietname, dicas de viagem, blog simone, viagem barata, Simone Rodrigues Soares.

  © Blogger template On The Road by Ourblogtemplates.com 2009

Back to TOP